Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Foto da francesa Vivian Dorothea Maier (1926-2009).

terça-feira, 29 de julho de 2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

À unidade latinoamericana no futebol (e na política)




Jan Garbarek interpreta "Hasta Siempre". Um registro artístico pálido do que pode ser a unidade latinoamericana em favor de um mundo sustentável e harmônico, para todos. 

Lembrando que a arte sempre aponta para o futuro. caso contrário, não é arte, pode ser (geralmente, é) entretenimento.    



terça-feira, 24 de junho de 2014

Desconhecer Foucault é estar exilado de nosso próprio tempo



A era da suspeita

Na quarta-feira (25/6), a morte de Michel Foucault completará 30 anos. Um dos mais influentes filósofos da segunda metade do século 20, Foucault produziu uma obra inovadora por seu método e por seus objetos. Obra cuja influência só aumentou desde sua morte, chegando hoje à condição de incontornável.

Não há setor das ciências humanas, da filosofia à história, da crítica literária aos estudos de comunicação, do direito à sociologia no qual não encontraremos problemas foucaultianos em operação. Na verdade, Foucault se transformou em um desses autores cujo desconhecimento implica divórcio profundo a respeito dos modos de pensamento que marcam nossa época. Quer dizer, desconhecer Foucault é estar exilado de nosso próprio tempo.

De fato, Michel Foucault conseguiu produzir dois feitos notáveis: complexificar nossa compreensão a respeito dos mecanismos de funcionamento do poder e injetar uma desconfiança profunda a respeito do pretenso realismo de conceitos e práticas científicas, em especial no campo das ciências humanas e das práticas clínicas.

Como se não fosse o bastante, seus últimos trabalhos compõem uma reflexão sistemática a respeito de um modo de autonomia e governo de si que abre caminhos para a reflexão ética distantes daqueles que a filosofia moderna conheceu, com sua fixação pelas figuras jurídicas da lei, do tribunal e da norma universalizável. Dessa forma, nasce uma experiência filosófica na qual epistemologia, ética e teoria social caminham de forma compacta.

Foi Foucault quem mostrou, de maneira mais sistemática, que nada entenderemos do poder enquanto o pensarmos a partir da temática da dominação das vontades, ou seja, o exercício do poder como sobreposição de uma vontade à outra. A verdadeira dimensão decisiva do poder se encontra nas disciplinas que sujeitam a todos por meio de instituições como a família, as prisões, as escolas, empresas, o Estado.

Tais disciplinas não são fruto da vontade de uma classe ou de um grupo. Elas resultam, na verdade, de uma vontade de saber que, ao mesmo tempo, nos sujeita e nos constitui. Ela está presente em nossos discursos científicos e na maneira por meio da qual eles moldam nossas vidas, organizam nossos conceitos de saúde e de doença, de sexualidade, de normalidade e de patologia, de regra e de desvio.

Dessa forma, Foucault deu instrumentos para que nossa época desenvolvesse sua capacidade de suspeita e desconfiança em relação a suas próprias ideias de progresso e de esclarecimento. Por isso, ele será sempre um dos nossos mais claros contemporâneos.


Artigo do professor Vladimir Safatle.

Fotografia: ao fundo, Sartre, com um olho em Foucault (calvo) e outro em Deleuze. 

sábado, 7 de junho de 2014

Entenda como e por que o Brasil quebrou três vezes com FHC



É preciso ver (ou lembrar) as explicações de FHC - o Farol de Alexandria - sobre o buraco econômico no qual eles meteram o País por três vezes consecutivas, em apenas oito anos.

É preciso ver (ou lembrar) um jornalista da BBC chamando às falas o ex-presidente Cardoso - o Farol de Alexandria - sobre os 600 processos criminais que o ex-Procurador Geraldo Brindeiro engavetou nos oito anos do tucano no Planalto. 

É preciso ver (ou lembrar) o ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, puxar as orelhas de FHC - o Farol de Alexandria - em um importante foro internacional sobre a forma irresponsável como FHC conduziu a economia do Brasil. 

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo